Roberto Alban Galeria

Artistas Artista

Adrianne Gallinari

Belo Horizonte, 1965
Vive e trabalha entre Salvador, São Paulo e Belo Horizonte

Artista multimídia, graduada pela Escola Guignard, 1987. Desenvolveu suas habilidades em desenho e pintura com experimentações utilizando outros materiais como a cerâmica, e mídias como animação em vídeo. Fez licenciatura e bacharelado na Faculdade Santa Marcelina, passando a integrar o corpo de professores do Instituto Tomie Ohtake por quase dez anos.

Participou de várias mostras individuais entre elas: em 1990 a exposição individual na Sala Arlinda Correa, no Palácio das Artes (BH). 1997 - Projeto ABRA/ Coca­-Cola, Paço das Artes, (SP); 2003Projeto Pampulha, curadoria de Adriano Pedrosa e Rodrigo Moura Museu de Arte da Pampulha, (BH); 2018 - Desenho + Pintura, Manoel Macedo Arte, (BH); expondo em cidades como São Paulo, Buenos Aires, New York. Sua individual recente 2020 - Desenho, Projeto Varanda, Casa de Cultura do Parque, (SP).

Também realizou exposições coletivas: 2000- XXVI Bienal de Pontevedra, curadoria de Maria De Corral, Galicia, Espanha. No mesmo ano, participou da I Bienal Bridgestone, no Centro Cultural Borges, em Buenos Aires e da exposição Wall Drawings, no The Drawing Center, em Nova York. Em 2003 participa da coletiva Subversão dos Meios, com curadoria de Maria Alice Milet no Instituto Cultural Itaú, (SP); Ordenação e Vertigem, no Centro Cultural Banco do Brasil, com curadoria de Agnaldo Farias. Em 2005 Desenhos de A a Z, curadoria de Adriano Pedrosa, Coleção Madeira Corporate Services, Ilha da Madeira, Portugal. Já em 2006 participa da coletiva Geração da Virada- 10+1, curadoria de Agnaldo Farias e Moacir dos Anjos. Em 2008 junto com as artistas Kiki Smith e Catherine Opie, realiza na Falconer Gallery, Iowa, (USA), a exposição “Disarticulated Bodies/ Destabilized Meanings”, com curadoria de Alanna Nissen. Nos anos de 2003 e 2008 fez parte da Arco, Madri, Espanha. E integrou do projeto de intercâmbio entre artistas japoneses e brasileiros, Sessão Criativa Brasil Japão, Kawasaki City Museum, Japan com curadoria Futoshi Yoshizawa. Entre 2010 a 2016, continuou expondo em Brasília, São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte. Em 2019 participou como convidada de um projeto de ação, experiência e residência artística nos Galpões Santo Antônio, Amparo, SP, sob a curadoria de Adriana Penteado. E a exposição Tempos Sensíveis, Curadoria de Agnaldo Farias. Museu de Arte Contemporânea do Paraná.

Como ilustradora, Adrianne teve seus trabalhos publicados na Ilustríssima, revista Bravo, caderno do jornal Folha de São Paulo. Em livros, destacam-se o de Joseph Conrad, O Passageiro Secreto, e o de Rodrigo Lacerda, O Fazedor de Velhos, ambos publicados pela Cosac Naify.

Integra coleções como: Itaú Cultural-SP-Brasil, Coleção Madeira Corporate Service-Ilha da Madeira-Portugal, o Museu de Arte da Pampulha-MG-Brasil e Banco de Espanha –Madrid-Espanha.